29 de novembro de 2013

S2R - Harley Davidson

Olá meus amigos

Conforme prometido, não vou reclamar de preço de nada hoje.

Nesse stand eu fui apenas encher os olhos, que se danem os números.

Sinais de boa educação:


 
  







Stand com direito a Show
 
Inclusive de Humor

28 de novembro de 2013

S2R - Suzuki

Outra moto que estava muito a fim de conhecer pessoalmente era Inazuma 250.

Uma bela moto de dois cilindros, bom acabamento e números razoáveis em relação a potência e torque se comparados aos mono cilíndricos disponíveis no mercado.

Pena que o pessoal da Suzuki não entendeu que a Inazuma está mais próxima da Fazer ou da CB300 que de motos como a Ninjinha.

Daí assisti essa entrevista com o JT e tive vontade de dar um tapa na orelha dele.


http://www.revistaduasrodas.com.br/site/noticia/visualizar/1450/suzuki_inazuma_250_tera_preco_aproximado_de_r_15_mil_revela_diretor_da_marca 

A moto é bonita e empolgante, eu vi de perto, subi nela, mas NEM FODENDO que daria 15 paus nessa motoca pelo que ela tem de bom.


Basicamente, é bonita, refrigerada a água e tem sexta marcha.

Os fabricantes precisam entender que radiador não é ouro, que na real o que vale mesmo é o que a moto é como um todo.

Aliás, eu fico imaginando se os caras não tem fetiche por radiador e por isso dão tanto valor. 


É desejável? 

Sim, mas não pode resultar num produto com desempenho similar e preço tão superior.

A CB300 por menos já tem ABS e é flex, também dá pra comprar uma Teneré 250 e sobra troco.


Em uma conversa com um vendedor, ele havia chutado uns 12 mil.

Opa, por 12 mil fechou!

Doze mil, é pouco mais que a Fazer, que fosse 13 paus numa bi-cilíndrica com sexta marcha estaria bom.

Seria um prato cheio na disputa, inclusive esse valor apareceu em algumas matérias.

Mas por 15 pratas...

Ela conseguiu ser a mais cara das Nakeds, com preço igual ao da Comet GT250R, que também não tem ABS, mas é carenada, e o motor dela é o capeta.

Aliás, tem a versão naked por 11 mil, ambas refrigeradas a ar, mas ainda assim mais potente.

E o cara ainda fala de painel digital como se fosse algo espetacular.


Pena que a GSR 125 R já conta com painel digital, né.

E ainda acha o preço competitivo e cita a Ninjinha na história.

Não sei se 
ele notou, mas a Ninjinha tem mais de dez cavalos a mais. É outro andaime, deixa ela pra lá cara. Soa como vendedor de Horizon comparando com a Sportster.


Uma coisa que achei muito bonito nessa moto são os escapes. Sei lá, ter esses dois escapes dá uma sensação de que a moto anda bem, mesmo que os números não levem a esse raciocínio.

Esteticamente a moto me agradou bastante, mesmo com toda a minha chatice para motos modernas.

Fiz um comparativo básico, envolvendo apenas os dados mais "olhados" quando a gente vai comprar a moto. Ordenei pelo menor valor das opções.


Aqui temos uma lista mais completa e que pode ficar desatualizada a qualquer momento, então, faça o favor de conferir no site quando for comprar a sua.


 Modelo 
 Preço 
 Fabricante
Importador 
Quant.  Cil. 
 Refrig. 
 CC 
 Potência 
 Torque Máximo 
 Câmbio 
 Ninja 300 
 R$20.990 
 Kawasaki 
 Água 
 296 
 39 CV a 11.000 rpm
 2,8 kgf•m / 10.000 rpm 
 6 
 Inazuma 250 
 R$15.000 
Haojue Suzuki
 Água 
 248 
 24,4CV a 8500rpm 
 2,47kgf.m a 7000rpm 
 6 
 Comet GT250R 
 R$14.990 R$15.475
(Dual Tone) 
 Hyosung
Kasinski 
 Ar 
 249 
 29,4 cv / 10.000 rpm 
 2,20 kgf.m a 6.750 rpm 
 5 
 Ninja 250 
 R$13.990
Candy Lime Green 2012 R$14.320
Black/ Red 2012 
R$14.620 
Ed. Limitada 2012" 
 Kawasaki
 Água 
 249 
 33 CV a 11.000 rpm
2,24 kgf•m a 8.200 rpm
 6 
 Kahena 250 Dual 
 R$12.800 
Naked
R$13.800
Carenada 
 Kahena 
 Ar 
  
 19,8cv a 8400 rpm 
 1,84 kgf.m / 6200 rpm 
 5 
 CB300R 
 R$11990 
R$13.690 ABS
 Honda 
 Ar 
 291,6 
 Gas. 26,53 cv a 7500rpm 
Et.: 26,73 cv a 7500rpm 
 Gas.: 2,82kgf.m @ 6500rpm 
Et.: 2,86kgf.m a 6500rpm 
 5 
 Roadwin 250 
 R$11.990 
 Daelin
Dafra 
 Água 
 247 
 24 cv @ 9.000 rpm 
1,9 kgf.m a 7.000 rpm
 5 
 Next 250 
 R$11.690 
 SYM
Dafra 
 Água 
 249,4 
 25cv / 7500 rpm 
 2,75 kgf.m a 6500 rpm
 6 
 Fazer 250 
 R$11.410
R$11.810 
Blue Flex 
R$11.710 
Black" 
 Yamaha 
 Ar 
 250 
 21 cv a 8.000 rpm 
 2,1 kgf.m a 6.500 rpm
 5 
 Comet GT250 
 R$10.990 
 Hyosung
Kasinski 
2
 Ar 
 249 
 29,4 cv / 10.000 rpm 
 2,20 kgf.m a 6.750 rpm 
 5 


Prometo que no próximo post não reclamarei de preço. :P

27 de novembro de 2013

Veículos de teste.

Certo dia estava eu rodando pela General Osório, quando encosta do meu lado duas motos preto fosco e placa verde.

Um dos modelos eu vi recentemente no salão duas rodas, será lançado em breve, o outro, a menos que esteja redondamente enganado, é um modelo já lançado e que por sinal está custando caro pra caramba.

Fiquei pensando no que leva um veículo já lançado a rodar como veículo de teste:

Será que encontraram algo errado?

Será que é pra chamar a atenção da galera?

Será que precisava de alguém escoltando o scooter e só tinha esse pra usar?

Será que lançaram as pressas e só estão testando agora?

E o mais intrigante:

O que estavam fazendo naquela região? 

Procurando peças?

:P

21 de novembro de 2013

Lâmpada de 55/60W na Kansas 150.

Olá meus amigos

A gambiarra de hoje é a instalação da lâmpada de 55/60W na Kansas 150.

Antes de continuar, gostaria de lembrar que eu estou usando um globo óptico de um farol auxiliar para “off roads“ e devido ao peso e do corpo do farol original ter rachado mesmo com o globo de plástico, eu reforcei tudo com durepoxy. Além disso, ainda troquei a lanterna comum por uma fita de LEDs, que chamam bastante a atenção a noite. Inclusive a capa do vídeo lá para baixo é uma foto tirada apenas com a fita de LED ligada. 
Já li relatos de uso de lâmpadas mais fortes no globo original que resultaram na perda do refletivo.

O material utilizado foi:
  • Soldador
  • Estanho
  • Um cabo AC de PC
  • Um par de conectores
  • Um porta fusível
  • Fusível de 10A (não parece, mas está no limite, pois quando se usa o lampejador com o farol baixo ligado, o consumo fica em aproximadamente 9,6A)
  • Um conector H4 (usei o de CB300, pois foi o primeiro que encontraram na Moto Peças)
  • Fita isolante.
  • Relês tirados de um estabilizador elétrico sucateado. 
O esquema elétrico de como a coisa funciona é mais ou menos o seguinte:

Aqui um esquema mais simplificado e direto, só deixei os relês em símbolo, pois os relês vieram da sucata e não sei qual relê você pode ter na mão:
Lembrando que são os componentes eletrônicos puros, não os relês auxiliares encontrados no mercado automotivo.

O resultado foi este:
Lanterna
Farol baixo
Farol Alto

O legal é ouvir o “click” do relê colando :D

Um resultado que não esperava, é que quando ligava o farol antigamente, a luz do painel enfraquecia, hoje não há mais este problema.

Se quiser fazer isso, faça por sua conta e risco, procure fazer as ligações de forma reversível.

Se tiver outro fusível com uma certa folga de capacidade nas mãos, seria interessante utilizá-lo, pois o calor pode fazer a resistência variar, junto com ela, a corrente.